Disbiose e a importância da suplementação

Disbiose e a importância da suplementação. Em primeiro lugar, pode-se dizer que, dentre as condições desencadeadas pela síndrome pós-covid a que mais comumente acontece é a disbiose.

Disbiose: a importância de equilibrar a microbiota intestinal

Explico aqui que no trato gastrointestinal existe uma população microbiana (bactérias e fungos) colonizando ali. E o intestino, em especial, possui um microbioma essencialmente bacteriano. As bactérias presentes no intestino são benéficas e nocivas com um certo equilíbrio.

Portanto, a Disbiose ocorre a nível intestinal quando há mais bactérias patogênicas do que benéficas levando a um desbalanço da microbiota intestinal. Manifestando-se por sinais e sintomas como: constipação e diarreia, inchaço abdominal, halitose, refluxo, alergias de pele, rinites, dor de cabeça, intolerância a certos alimentos, alterações de tireoide.

Estudos demonstraram que o vírus SARS-Cov2 infecta também as bactérias presentes no intestino.

Disbiose e a importância da suplementação
imagem: Divulgação

Comentarei a seguir alguns ativos comumente prescritos no manejo da disbiose. Mas antes quero ressaltar que, além de suplementos, é indispensável uma mudança na alimentação, preferindo a dieta anti-histamínica. A opção é retirar alimentos mais alergênicos, e a dieta do mediterrâneo rica em ômega 3, verduras cruas, boas gorduras, sem industrializados.

1 — Própolis:

Possui potente ação antibacteriana, antiviral e anti-inflamatória, além de contribuir para a melhora do sistema imune. Utilizar em jejum assim que acordar terá uma melhor absorção e atuação no intestino.

2 — Cúrcuma

É capaz de auxiliar na transformação do macrófago de padrão inflamatório para um anti-inflamatório, como também na diminuição de citocinas inflamatórias que estão aumentadas no pós-covid.

É vital manipular em cápsulas gastrorresistentes por proporcionar uma ação anti-inflamatória direcionada a nível intestinal.

3 — Creatina + Glutamina

A combinação de creatina com glutamina contribui para a saúde dos enterócitos (células do intestino) e atua na redução da permeabilidade intestinal, deixando as células mais próximas umas das outras.

As células intestinais possuem junções para manter a permeabilidade seletiva, ou seja, controla o que será absorvido. A permeabilidade intestinal permite a entrada de patógenos, já que os enterócitos não estão próximos como deveriam.

4 – Microbiomex®

Possui efeitos anti-inflamatórios como resultado da capacidade de modelar a composição da flora intestinal. Um aumento na proporção total dos é resultante da mudança da flora. Os Ácidos Graxos de Cadeia Curta promovem efeitos positivos na função da barreira intestinal e diminuem a inflamação como reflexo da diminuição dos níveis de calprotectina.

Não se esqueça que este é um texto apenas informativo. Sempre que necessário, a um acompanhamento individual com profissional de saúde é a melhoor escolha para tratá-lo de forma adequada.

Sou Sabrina Araujo, farmacêutica, especialista em Fitoterapia e Prescrição de Fitoterápicos. Fiz a formação em Pós-Covid e sou favorável ao cuidado do paciente em sua complexidade e individualidade, no fortalecimento da imunidade por meio do uso de suplementos e hábitos saudáveis.

Disbiose e a importância da suplementação

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe!

Posts Recentes: